Notícia atualizada às 13:31

A freguesia do Porto da Cruz, no concelho de Machico, vive hoje uma «situação de catástrofe completa» devido à forte precipitação que caiu esta noite naquela zona da Madeira, disse o presidente da câmara à agência Lusa. O Diário de Notícias da Madeira titula mesmo que a situação nesta zona é «pior do que o 20 de Fevereiro» de 2010, quando 42 pessoas morreram como consequência do mau tempo.

«É uma situação de catástrofe completa e o panorama é mais sério com o clarear do dia», declarou Ricardo Franco, adiantando que a intensa precipitação provocou «o transbordo de vários ribeiros e ribeiras, várias derrocadas que bloquearam o trânsito nas vias regionais e municipais, habitações alagadas e populações isoladas, além de pessoas que ficaram ligeiramente feridas porque foram arrastadas e danos em outras casas».

O jornalista da TVI Mário Gouveia confirmou que algumas pessoas ficaram feridas, mas não foram arrastadas pela água. Seis casas ficaram parcialmente destruídas, pelo que seis famílias foram realojadas. Uma casa devoluta ficou totalmente destruída.

O autarca mencionou o caso de uma habitação em que a família teve de ser retirada. «Pelo menos três pessoas ficaram ligeiramente feridas porque foram arrastadas devido a esta ocorrência», referiu.

Ricardo Franco apontou ainda a situação de «uma oficina onde todo o material que se encontrava no andar térreo desapareceu», inclusive viaturas, bem como quedas de muralhas e muros.

Ao nível da circulação naquela freguesia do norte da Madeira, o responsável referiu que a Via Expresso, principal acesso à localidade, ficou bloqueada devido a uma grande derrocada e que as autoridades demoraram «três horas e meia a abrir um corredor de segurança» e das dificuldades em diversas vias municipais.

«Esta é uma situação extraordinária em termos de chuva, havia o alerta amarelo, e estamos a acudir à situação com máquinas privadas, porque a câmara não dispõe deste tipo de material», realçou o autarca de Machico.

O responsável informou que com a luz do dia será efetuado «um levantamento dos prejuízos para elaborar um relatório para apresentar ao Governo Regional e a quem de direito para ajudarem».

Fonte da PSP da Madeira confirmou ao tvi24.pt que durante a noite se verificaram «várias derrocadas» e que «carros foram arrastados pelos rios de lama que se formaram».

«Há pelo menos uma senhora ferida, mas ainda estamos a receber várias chamadas e admitimos que o número poderá subir», afirmou a mesma fonte.

A PSP ainda está no terreno a tentar aliviar o trânsito porque há «várias estradas intransitáveis».

Também no concelho de Santa Cruz, a chuva deixou algumas estradas «intransitáveis» e provocou «algumas derrocadas», diz a autarquia em comunicado.

«No sítio da Ribeira, em Santa Cruz, chegou a ser ponderada a evacuação dos moradores, tendo o presidente solicitado alojamento no Hotel Santa Cruz, que, contudo, acabou por não ser necessário, dadas as melhorias entretanto registadas ao nível da pluviosidade», lê-se na nota.

Ainda no concelho de Santana, na zona norte, a chuva inundou a escola e, segundo fonte dos bombeiros locais, foram afetadas as salas do rés-do-chão, pelo que hoje não estará em funcionamento.

Nos restantes concelhos da Região Autónoma da Madeira, as corporações dos bombeiros atestam que não existem situações anómalas a registar.

A região montanhosa da ilha da Madeira está hoje, até às 17:59, sob aviso laranja.