O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, apelou aos açorianos para que cumpram as recomendações da Proteção Civil, que pede à população para reforçar telhados, portas e janelas, face ao mau tempo originado pela passagem pelo arquipélago do furacão Alex. Vasco Cordeiro determinou o encerramento de todos os serviços e organismos regionais nas sete ilhas dos grupos central e oriental devido ao mau tempo. Universidade, escolas, creches e tribunais estão fechados e todos os voos foram cancelados.

"É responsabilidade de cada um, individualmente, garantir que todos possamos ultrapassar isto o melhor possível", salientou o presidente do executivo açoriano, em declarações aos jornalistas, na sede do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), em Angra do Heroísmo.


O presidente do executivo açoriano disse também que a Ministra da Administração Interna "fez um contacto inteirando-se também e disponibilizando tudo aquilo que fosse necessário".

"Aquilo que nós esperamos é que, apesar destas situações mais delicadas, seja possível ultrapassar este temporal sem qualquer tipo de problema", concluiu.

As ilhas dos grupos central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) e oriental (São Miguel e Santa Maria) estão sob aviso vermelho, que corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Face às previsões meteorológicas, não só a Proteção Civil dos Açores, como vários departamentos do Governo Regional (Obras Públicas, Transportes Terrestres, Solidariedade Social, Habitação e Saúde) tomaram as devidas diligências a partir dos primeiros avisos.
 

Todos os serviços encerrados


Esta sexta-feira todos os serviços e organismos localizados naquelas ilhas” estão fechados, com exceção dos “serviços considerados urgentes e essenciais, nomeadamente hospitais, centros de saúde, serviços de proteção civil, assim como os demais considerados pelos respetivos diretores regionais da tutela”, indica uma nota de imprensa do Executivo açoriano.

Encerrados estão todos os jardins-de-infância e creches das ilhas dos grupos central e oriental. O Executivo açoriano determinou também a não realização neste dia de atividades com alunos nas escolas dos diferentes ciclos nestes dois grupos.  

Os polos da Universidade dos Açores em Ponta Delgada (São Miguel), Angra do Heroísmo (Terceira) e Horta (Faial) estão encerrados, bem como todas as instâncias e serviços do tribunal sediados nas ilhas dos grupos central e oriental, à exceção de urgências.  

Também pelo menos seis municípios – Praia da Vitória (Terceira), Nordeste, Povoação e Ponta Delgada (São Miguel) e Lajes e São Roque (ambos do Pico) – decidiram pelo encerramento dos serviços.

No Porto de Ponta Delgada, o maior do arquipélago, em São Miguel, que em dezembro sofreu vários danos decorrentes da agitação marítima, foram tomadas medidas preventivas, como a deslocação de embarcações comerciais para o norte da ilha, e o reforço da amarração das embarcações de recreio e pesca.

O gabinete de imprensa do executivo açoriano informou ainda que foi encerrado o acesso à montanha do Pico, o ponto mais alto de Portugal, assim como a centros ambientais e reservas florestais.

Foi também determinado “o encerramento preventivo, pela sua maior exposição e risco para a segurança, da Casa da Montanha e da Gruta das Torres, na ilha do Pico, do Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, no Faial, e da Furna do Enxofre, na Graciosa”.

O documento adianta que “o acesso público ao Monte Brasil, na ilha Terceira, também está encerrado durante este dia de sexta-feira”, aconselhando a Direção Regional dos Recursos Florestais que “seja evitada a visita às reservas florestais de recreio não vedadas das ilhas dos grupos central e oriental”, locais muito procurados por turistas.

Diversas estradas nas ilhas Terceira, Graciosa, Pico, Faial, São Miguel e Santa Maria também estão encerradas, tendo em conta o agravamento do estado do tempo.

Em comunicado, o executivo açoriano chama a atenção para a necessidade de uma redobrada atenção na condução e para se evitar a realização de atividades de ar livre.
 

SATA sem ligações aéreas


A companhia aérea açoriana SATA não realiza durante a manhã desta sexta-feira voos que tinha agendado entre as ilhas dos Açores devido ao mau tempo, tendo reprogramado estas ligações para o início da tarde, disse uma fonte da empresa.

O porta-voz da companhia, António Portugal, adiantou à Lusa que, devido às previsões meteorológicas, "a SATA reprogramou os seus voos para que se iniciem a partir das 13:00" locais de sexta-feira (mais uma hora em Lisboa), indicando que estavam previstas, por exemplo, ligações para as ilhas de Santa Maria, Terceira, Faial, São Jorge e Graciosa. 

António Portugal disse ainda que o voo da SATA Internacional de Boston para a ilha Terceira esta sexta-feira, num avião que faria também a ligação com Lisboa, foi igualmente reprogramado. 

Assim, o aparelho só deverá chegar durante a tarde à ilha Terceira de onde partirá para Lisboa pelas 17:30 locais, acrescentou. 
 

Plenário do parlamento cancelado


Os trabalhos do último dia do plenário de janeiro da Assembleia Legislativa dos Açores, a realizar esta sexta-feira, na Horta, ilha do Faial, foram cancelados devido ao agravamento das condições meteorológicas, com a aproximação ao arquipélago do furacão Alex.

À agência Lusa, fonte da presidência do parlamento explicou que “as condições meteorológicas neste momento recomendam a todas as pessoas o máximo cuidado”.

O plenário do mês de janeiro arrancou na terça-feira e deveria terminar esta sexta-feira.

De acordo com a mesma fonte, a presidente do parlamento açoriano, Ana Luís, tomou a decisão em conferência de líderes e os 57 deputados foram informados.
 

Empresas aconselhadas a avisar turistas


O Governo Regional dos Açores aconselhou, na quinta-feira, as empresas do setor turístico a alertarem os turistas para o agravamento do estado do tempo no arquipélago devido à aproximação do furação Alex.

A comunicação do executivo açoriano foi remetida às unidades de hotelaria tradicional, de turismo em espaço rural e empresas de animação turística de aluguer de automóveis, adianta uma nota do gabinete de apoio à comunicação social do executivo regional.

Tendo em conta a previsão de ventos fortes e chuva intensa, a Secretaria Regional do Turismo e Transportes solicitou “a melhor colaboração de todas as empresas do setor para garantir a segurança dos turistas, transmitindo-lhes, nomeadamente, a informação de que está encerrada toda a rede de trilhos homologados dos grupos central e oriental e que não devem deslocar-se para zonas costeiras e zonas altas”.

O furacão Alex é o primeiro fenómeno meteorológico desta natureza a acontecer no mês de janeiro em quase 80 anos, de acordo com meteorologistas norte-americanos.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), é a primeira vez que um furacão se forma em janeiro no oceano Atlântico desde 1938.

Clique aqui para perceber melhor o fenómeno do furacão Alex nos Açores.