A PSP deteve esta quinta-feira um adepto do Benfica por resistência, coação, injúrias e ameaça, no Campus da Justiça, em Lisboa, após o debate instrutório do processo relativo ao atropelamento mortal de Marco Ficini, junto ao Estádio da Luz.

No fim da sessão, e já no exterior do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa, no Parque das Nações, viveram-se momentos de tensão entre arguidos com ligações aos No Name Boys (Benfica) e à claque Juventude Leonina (Sporting), o que obrigou à intervenção policial para evitar os confrontos.

Quando a PSP tentava montar um cordão policial, um adepto do Benfica, de 35 anos, que “não é arguido no processo”, foi detido, às 13:55, por ‘spotters’, agentes policiais responsáveis pelas ligações com as claques dos clubes desportivos, explicou à agência Lusa a porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, Carla Duarte.

O homem foi notificado para comparecer pelas 10:00 de sexta-feira no Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça.

Já antes do início do debate instrutório, quer no exterior e também no interior da sala do TIC de Lisboa, onde decorre a instrução - fase facultativa em que é decidido por um juiz se os arguidos vão a julgamento – já se tinham verificado alguns episódios de tensão entre vários dos arguidos.

Inicialmente não havia elementos policiais no Campus da Justiça, que chegaram ao local poucos minutos depois.