O livro "Viva a Morte", de Marco António "tem tristeza e humor, beleza e horror" e um denominador comum: a morte. A obra, com ilustrações de Lucy Pepper, tem 35 contos diferentes sobre diferentes aspetos direta ou indiretamente relacionados com a morte, que apelam a emoções várias: "Tem tristeza e humor, beleza e horror", lê-se na sinopse do livro.

Pré-publicação de um conto: 

Estória Verídica

Uma pessoa estava viva e morreu.

Isto aconteceu algures, num momento indeterminado, mas aconteceu mesmo.

Na verdade, várias pessoas que estavam vivas ontem já não estão vivas hoje. Tal como várias pessoas que estão vivas hoje já não estarão vivas amanhã.

É muito chato que as pessoas vivas morram, mais cedo ou mais tarde.

Citando o Professor Amadeu Borges Ferro✝ (em 2013, em entrevista à revista online “Papel”): «A causa de 100% das mortes é estar vivo.» Factos são factos.

Outra coisa injusta em relação a isto tudo é as pessoas vivas de quem gostamos terem de morrer e pessoas mortas de quem gostávamos muito não poderem voltar a viver. Custa que assim seja, mas pronto. Temos de nos conformar.

Falta só dar-lhe uma notícia.

Enquanto lia esta pequena estória verídica, por muito rápido que tenha lido, alguém, algures, morreu. Estava com vida e depois morreu.

Porquê? Porque a vida é assim... e a morte também..

 

 

Pequenos Conselhos Práticos Para Futuros Finados

Aquela coisa de ter a roupa interior sempre impecável para o caso de acontecer alguma coisa... oiça... convém, naturalmente, ter sempre a roupa interior impecável (por razões óbvias), mas se por acaso não tiver no momento em que morrer... a sério... só passa vergonha quem está vivo.

Deixe a sua sugestão de um pequeno conselho para futuros finados em www.marcoantonio.pt/futuros-finados