Mais de um milhar de professores começaram hoje, perto das 16:00, a descer a Avenida da Liberdade, em Lisboa, num protesto contra o desgaste profissional, as condições de aposentação, a municipalização e outros temas contestados pelos sindicatos.

Os professores começaram a juntar-se perto da rotunda do Marquês de Pombal, pelas 14:30, mas foram procurando as sombras nas laterais da Avenida da Liberdade, para se abrigarem do Sol e do calor intenso registado em Lisboa.

O protesto, convocado pela Plataforma da Educação, que agrega oito estruturas sindicais, entre as quais a Fenprof, arrancou ao som de palavras de ordem como “é preciso dizer basta ao horário que desgasta”, “valorizar a educação, defender a profissão”, “é preciso respeitar quem vive a ensinar” e “professores necessários não podem ser precários”.

Os manifestantes empunham bandeiras dos sindicatos que os representam e faixas com palavras de ordem.