A capitania do porto do Funchal prolongou, na noite de hoje, o aviso de agitação marítima e vento forte para os mares do arquipélago, até às 18:00 de domingo, recomendando a que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo.

Com base nas previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a situação geral do estado do tempo, para a orla marítima, aponta para vento por vezes forte, visibilidade temporariamente fraca e ondas até quatro metros, na costa sul, e de três metros, na zona norte.

“Recomenda-se que, na costa sul, os proprietários ou armadores das embarcações tomem as devidas precauções para que estas permaneçam nos portos de abrigo”, pode ler-se no aviso distribuído pela autoridade marítima regional.

Apesar das condições adversas, a Porto Santo Line, a empresa proprietária do Lobo Marinho, o navio que assegura as ligações entre as ilhas da Madeira e Porto Santo, que decidiu cancelar as viagens previstas para hoje, informa, na sua página do Facebook, que, “de momento, tudo indica que a viagem de amanhã [domingo] se vai realizar”, desejando aos passageiros uma “boa viagem”.

O IPMA colocou o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo, o segundo mais grave de uma escala de quatro, até às 06:00 de domingo, devido às previsões de vento forte, com rajadas até aos 110 quilómetros, e precipitação, com condições favoráveis à ocorrência de trovoada.

O mau tempo condicionou, a partir do meio da tarde de hoje, o movimento no Aeroporto Internacional da Madeira, tendo cerca de meia dúzia de aviões sido obrigados a alterar os destinos para o Porto Santo, Tenerife e mesmo Lisboa, onde um deles regressou, o que afetou aproximadamente mil passageiros, entre chegadas e partidas.

A partir das 20:37 foram retomadas as operações de descolagens e aterragens.

No Funchal, são também visíveis alguns danos provocados pelo vento forte e pela chuva, nas iluminações de Natal, e algumas quedas de árvores, sobretudo na cidade.