Notícia atualizada às 16:45

A circulação na linha do Norte foi interrompida esta quinta-feira por trabalhadores do setor ferroviário, ao início da tarde. Uma manifestação na Estação de Santa Apolónia, em Lisboa, também provocou perturbações na circulação, disse à Lusa fonte da Refer.

«Há uma manifestação a decorrer e alguns comboios não estão a partir», disse a mesma fonte da Rede Ferroviária Nacional. A CP – Comboios de Portugal indicou, também, que algumas pessoas estão a ocupar as linhas 1 e 2 da estação de Santa Apolónia e que as autoridades já foram avisadas. Esta informação foi dada à Lusa pelas 15:40 e, entretanto, a circulação foi retomada por volta das 16:00.

Quanto ao outro caso, houve «uma ocupação da linha do Norte na zona do Entroncamento», adiantou Paulo Milheiro, do Sindicato de Trabalhadores do Setor Ferroviário. Fonte oficial da CP confirmou que, pelas 15:00, havia «cidadãos a interromper a linha».

As autoridades estiveram no local a tomar conta a ocorrência. Entretanto, a circulação foi retomada. O Sindicato dos Trabalhadores do Setor Ferroviário, João Azevedo, indicou que se tratou de um «corte simbólico», promovido por cerca de 150 trabalhadores que se concentraram junto à linha depois do plenário que ocorreu junto às instalações da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF).

Esta ação de protesto visa dar visibilidade à oposição dos trabalhadores à privatização da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF) prevista no Orçamento do Estado para 2015. «Esta empresa é fundamental para a segurança e fiabilidade da circulação ferroviária. Não aceitamos a privatização», disse, adiantando que os trabalhadores contestam ainda o fim do direto ao transporte, «um direito com mais 100 anos» cuja retirada consideram «uma afronta».

Um comboio Alfa Pendular ficou retido durante cerca de 40 minutos, bem como outras três outras composições que circulavam no sentido de Lisboa. No sentido contrário, ficou parado um comboio regional.