Os reservatórios de água de Vila Franca de Xira foram desinfetados como medida de proteção contra a bactéria legionella e a água que abastece as zonas mais afetadas foi clorada, informou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

«A título preventivo, as autoridades de saúde e o SMAS procederam à cloragem da água das zonas afetadas. Iniciou-se ainda o processo de limpeza e desinfeção dos reservatórios»


As autoridades de saúde estão ainda a ponderar a «aplicação das medidas de cloragem em toda a rede, de modo a garantir os níveis de cloro recomendados pela Organização Mundial de Saúde».

«Foram recolhidas amostras de água em novos pontos da rede pública, bem como em reservatórios e nas torres de refrigeração identificadas, nomeadamente num hotel e fábricas da zona). «Não há qualquer problema com a ingestão de água nas áreas afetadas. Também não existe qualquer risco de contágio pessoa a pessoa»


Até ao início da noite, foram detetados 90 casos de infeção por legionella na Grande Lisboa, dos quais 16 estão em cuidados intensivos, e a DGS admite novos casos. Um homem de 59 anos morreu.

Empresas serão inspecionadas este domingo

O presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira revelou que empresas daquele concelho serão inspecionadas domingo por técnicos da Direção-Geral de Saúde com vista a localizar eventuais focos do surto.

Alberto Mesquita falava em conferência de imprensa a propósito das medidas que a Câmara de Vila Franca de Xira e a Direção-Geral de Saúde (DGS) decidiram tomar no sentido de identificar a origem dos casos detetados naquele concelho.

Instalações fabris do concelho serão também alvo de inspeções com o objetivo de localizar eventuais focos de transmissão da bactéria.

Conselhos para os residentes nas zonas mais afetadas: deve evitar duches e pode beber água sem problemas.