Os menores institucionalizados num lar de Reguengos de Monsaraz contam que a diretora técnica, detida na semana passada, os algemava e fechava numa arrecadação, além de os obrigar a ajoelhar perante ela no seu gabinete, relata o jornal «Público».
 
Foram estes relatos, juntamente com denúncias da Segurança Social e dos pais dos menores, que levaram o Ministério Público a iniciar o processo, em 2011, que culminou com a detenção, na terça-feira da semana passada, da diretora técnica do Lar Juvenil de Nossa Senhora de Fátima.
 
A psicóloga foi indiciada pelos crimes de maus-tratos e abuso sexual de menores dependentes, uma vez que também manteve uma relação com um rapaz de 14 anos que vivia no lar juvenil. Ouvida em tribunal, alegou estar a ser vítima de uma conspiração.
 
Além do termo de identidade e residência, a diretora ficou com pulseira eletrónica, porque está proibida de entrar no concelho. Foi ainda suspensa de funções e está proibida de contactar os jovens que vivem neste lar da Santa Casa da Misericórdia.