Uma mulher no hospital de Lamego, que tinha sido operada e que estava com dores, esperou mais de sete horas até ser observada por uma médica. Aquilo que começou por ser uma operação simples deixou à paciente uma laceração de cinco centímetros na traqueia, a que só foi operada no dia seguinte.
 
Ilda Rodrigues entrou a 6 de julho no hospital de Lamego para uma operação simples às varizes. Deveria ter tido alta no mesmo dia, mas as complicações começaram no pós-operatório.

Uma enfermeira terá desvalorizado as queixas constantes da paciente e só quatro horas e meia depois foi chamada a médica de serviço nas urgências. A médica-cirurgiã apareceu para observar a paciente passadas outras três horas.

A mulher de 50 anos foi encaminhada para Vila Real. Aí, descobriu-se que a entubação feita na operação em Lamego tinha deixado uma laceração de cinco centímetros na traqueia. Ilda Rodrigues foi transportada de urgência para o hospital de Vila Nova de Gaia, onde foi operada novamente.

A família apresentou queixa junto do centro hospitalar de Lamego, que diz ainda não ter conseguido dar uma resposta devido à complexidade do caso. Se não houver uma resposta breve, a família de Ilda Rodrigues vai levar o caso a tribunal.