Um do dois homens detidos pela Polícia Judiciária (PJ), por suspeita de terem consumado este ano quatro assaltos a bancos em Setúbal, utilizou uma réplica de arma de fogo para intimidar os funcionários e consumar o roubo, revelou à Lusa fonte daquela polícia.

Os dois homens, de 43 e 51 anos, que foram detidos pela Unidade Nacional Contra o Terrorismo da Polícia Judiciária (PJ), são portugueses, estavam desempregados e em termos de antecedentes criminais «não tinham nada de significativo».

O modo de atuação levava a que um dos suspeitos entrasse no banco de boné e com a arma de fogo falsa, forçando os «caixas» a entregar o dinheiro, enquanto o segundo elemento vigiava o exterior da instituição bancária e era responsável por trocar as notas do assalto.

Ambos os suspeitos residiam na zona de Setúbal e estão a ser inquiridos em interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação, como recorda a Lusa.