O Centro Hospitalar de Gaia recebeu esta semana um doente portador da bactéria 'Klebsiella' multirresistente vindo do hospital Santo António, no Porto, sem qualquer sinalização, disse à Lusa fonte hospitalar.

A denúncia foi hoje feita por uma fonte do hospital de Gaia segundo a qual o paciente, um homem de 70 anos, foi transferido na quarta-feira do Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar do Porto, no Santo António, onde se encontrava internado desde dia 11 de novembro.

Na admissão, esta semana, do paciente na Unidade de Cuidados Intensivos da Cardiotorácica do hospital de Gaia, foi-lhe efetuado um rastreio para a bactéria Klebsiella pneumoniae produtora de KPC, que deu positivo.

De acordo com a mesma fonte, o doente portador da bactéria multirresistente foi transferido sem ser identificado como tal.

A bactéria multirresistente foi identificada a 07 de agosto no hospital de Gaia e, segundo informou o Ministério da Saúde no início deste mês, colonizou um total de 103 doentes, infetados ou portadores.

De acordo com os dados então disponibilizados, 45 dos 102 doentes estavam ainda internados, quatro deles com infeção e 41 sem infeção.

Dias depois de a situação ter sido revelada ao público, em outubro, a Direção-Geral de Saúde admitiu que pelo menos três pessoas morreram em resultado da infeção pela bactéria multirresistente identificada no Hospital de Gaia.

A bactéria multirresistente terá surgido em consequência do uso de antibióticos, é de rápida disseminação, transmite-se pelo toque, sobrevive na pele e no meio ambiente e desconhece-se a sua durabilidade, explicou fonte hospitalar.

A Lusa tentou ouvir o Centro Hospitalar do Porto, mas tal não foi possível até ao momento.