O Tribunal de Castro Daire começa esta quinta-feira a julgar um antigo agente da PSP, de 71 anos, acusado de 36 crimes sexuais, de que terão sido vítimas seis raparigas menores.

Reformado da PSP há cerca de 20 anos, A. Oliveira está acusado de 19 crimes de abuso sexual de crianças, 10 de recurso à prostituição de menores e outros sete de recurso à prostituição de menores agravado.

Segundo a acusação, a que a agência Lusa teve acesso, pelo menos desde 2008 que A. Oliveira abordaria raparigas dos 13 aos 17 anos, levando-as a praticar atos sexuais a troco de dinheiro (quantias entre 5 e 20 euros).

O suspeito, que é casado, acabou por ser detido pela Polícia Judiciária, encontrando-se em prisão preventiva desde o início de junho de 2013.

Os atos terão sido praticados em locais como uma quinta, uma garagem, a casa de familiares de uma das meninas e junto ao campo de futebol de Castro Daire.

A acusação refere que duas das meninas (nascidas em 1994 e 1998) são filhas de uma mulher a cujos serviços de prostituição A. Oliveira recorria, tendo, por isso, sabido das dificuldades económicas da família.

Entre as alegadas vítimas estão outras três irmãs (nascidas em 1993, 1995 e 1997), amigas e vizinhas das duas primeiras, que teriam conhecimento dos contactos de natureza sexual entre estas e o antigo PSP. Depois, também elas se terão encontrado com ele.

Em julho de 2008, por duas vezes, o arguido terá estado ao mesmo tempo com quatro dessas meninas - as nascidas em 1994, 1995, 1997 e 1998 - perto do campo de futebol.

A sexta alegada vítima (nascida em 1997) é sobrinha e afilhada de um casal que A. Oliveira ajudava monetariamente por viver com dificuldades económicas.

O Ministério Público considera que o arguido sabia a idade das menores e que agiu para satisfazer os seus instintos sexuais.