O ex-diretor geral de Infraestruturas e Equipamentos do Ministério da Administração Interna João Alberto Correia, detido na terça-feira por suspeitas de corrupção e participação económica em negócio, ficou em prisão preventiva, revelou o jornal i.

João Alberto Correia foi interrogado na quarta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), tendo-lhe sido aplicada, já à noite, aquela medida de coação pelo juiz Carlos Alexandre.

O ex-diretor, que se demitiu em fevereiro passado, foi detido no âmbito de uma investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), sobre «eventuais ilegalidades relacionadas com obras efetuadas em estruturas da responsabilidade do Ministério da Administração Interna (MAI)».

Estão em causa suspeitas de corrupção e participação económica em negócio.

No âmbito da investigação, foram feitas buscas nas instalações da Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos, o organismo que gere o património, infraestruturas e equipamentos daquele ministério.

João Alberto Correia demitiu-se em fevereiro daquela Direção-Geral alegando razões pessoais, mas a imprensa, na altura, avançou que estava a ser alvo de uma auditoria interna.

Na terça-feira, o MAI informou que foram enviados para o Ministério Público factos ¿com eventual relevância criminal¿ relacionados com a auditoria feita àquela direção-geral.

O MAI refere ainda que a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) vai prosseguir a auditoria, sublinhando que o processo se encontra em segredo de Justiça.