Não há nenhum alerta de terrorismo específico para Portugal. O jornal Expresso confirmou junto de fontes das autoridades responsáveis pela investigação do Estado Islâmico em Portugal, que o alerta em relação a três jihadistas ligados aos atentados de Paris estende-se a toda a Europa. Contactado pela TVI, o ministério da Administração Interna não confirma nem desmente esta notícia, remetendo esclarecimentos para um comunicado que será divulgado ainda esta sexta-feira

A informação recolhida pelo Expresso vem no seguimento da notícia que é avançada esta sexta-feira pelo Jornal de Notícias e que dá conta de que um dos alegados responsáveis pelos atentados de 13 de novembro em Paris estará em Portugal acompanhado por outros dois jihadistas.

O Jornal de Notícias cita fontes da polícia francesa. Segundo a mesma publicação, os três suspeitos estão armados  e são considerados extremamente perigosos. 

De acordo com o mesmo jornal, o alegado cabecilha dos atentados chama-se Samir Bouzid e poderá deslocar-se num Citroën de cor escura e matrícula francesa. As autoridades admitem, no entanto, que Samir Bouzid esteja a usar uma identidade falsa. A presença do indivíduo já terá sido detetada na Bélgica.

Os outros dois jihadistas serão Kevin Guiavarch (22 anos) e Memdi Kaddour (20 anos).

Há ainda a informação de que um dos procurados poderá estar acompanhado por uma mulher e crianças.
 
O alerta terá sido dado às autoridades nacionais pela Interpol e pela Guardia Civil espanhola, com quem as autoridades portuguesas estão a colaborar numa  "caça ao homem" concentrada sobretudo no norte do país. 

A informação sobre os alegados terroristas terá sido recolhida através das redes sociais. Kevin Guiavarch estará ligado aos sites de recrutamento do Estado Islâmico.


Os serviços de informações europeus acreditam que os suspeitos estariam a combater na Síria desde 2014. 

Os atentados de Paris fizeram 130 mortos. Um dos responsáveis identificados, Salah Abdeslam, é procurado por toda a Europa. As autoridades portuguesas terão recebido a informação de que o suspeito poderia estar de passagem por Portugal.