Uma criança de cinco anos ficou hoje esquecida na escola do 1.º ciclo e jardim-de-infância de Casais dos Ledos, no concelho da Batalha, e teve de ser retirada pelos Bombeiros Voluntários locais.

«Fomos contactados de que havia uma criança que estava fechada na escola», disse à agência Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários da Batalha, Fernando Bastos, explicando que o menor foi retirado do 1.º andar, depois de terem conseguido abrir uma janela, e saiu com o auxílio dos bombeiros, através de uma escada.

Segundo Fernando Bastos, «a criança, de cinco anos, não estava a chorar».

O presidente da Câmara da Batalha, no distrito de Leiria, afirmou que «a criança ficou esquecida na escola», onde esteve sozinha «entre 15 a 20 minutos», até ser retirada pelos bombeiros.

Paulo Batista Santos esclareceu que uma das animadoras teve de ir de urgência com um filho para o hospital, sendo que a outra animadora saiu da escola pelas 18:45.

«Ao sair, preocupada com a situação da outra animadora, não reparou que havia uma criança a dormir no 1.º andar», referiu o autarca, adiantando que a mãe, ao chegar à escola, «começou a chamar pelo filho e pela animadora».

Segundo o presidente da autarquia, «a criança acabou por espreitar pela janela e a mãe chamou os bombeiros».

«É uma situação insólita, aborrecida», reconheceu o autarca, que anunciou a aberrtura de um processo interno de averiguações para eventual procedimento disciplinar.

Paulo Batista Santos acrescentou que a câmara está a implementar uma linha telefónica azul para os munícipes recorrerem em caso de necessidade e que poderá servir, igualmente, para situações de emergência.

«Lamentamos profundamente a situação, que pessoalmente já transmiti à mãe, no local. O município disponibilizou ainda apoio psicológico caso seja necessário para a criança e a mãe foi informada dos direitos que lhe assistem se pretender avançar com queixa», referiu ainda.

O alerta para a situação foi feito pelas 19:00, tendo acorrido ao local dois elementos da corporação da Batalha, apoiados por uma viatura, e a GNR.