A Liga dos Bombeiros Portugueses considerou esta quarta-feira que o reforço do INEM com mais de 50 meios de socorro e emergência médica vai ajudar, embora seja uma “medida tardia”, porque ainda faltam ambulâncias em 30 municípios.

Em declarações à agência Lusa, Jaime Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), regozijou-se com o anúncio feito na terça-feira pelo INEM, avançando que irá ajudar as associações, embora peque por tardio.

“Há um conjunto de VEM (ambulâncias de emergência) que já deviam ter sido, algumas, distribuídas em 2014 e outras em 2013”, disse Jaime Soares, recordando a existência de um protocolo assinado entre a Liga e o INEM para que os 308 municípios portugueses possuam uma ambulância.


Jaime Soares sustentou que o protocolo está longe da sua concretização, considerando que as ambulâncias que vão ser entregues este ano estão dentro daquilo que ficou estabelecido.

“Esperamos que o ritmo seja mais rápido, para poder concluir este processo de uma ambulância de emergência em cada município instalada no corpo de bombeiros”, sublinhou.

“Depois desta entrega, ficarão a faltar cerca de 30 municípios”, afirmou.


Jaime Soares lembrou também que o organismo a que preside insiste em rever o protocolo com o INEM, uma vez que considera que há situações incluídas no documento que “estão desajustadas da realidade e da evolução do dia-a-dia, da sociedade e dos próprios bombeiros”, sem no entanto especificar quais.

O responsável lembrou também que os bombeiros são “um parceiro essencial” do INEM, já que segundo este “80% da atividade do instituto é desenvolvida pelos corpos dos bombeiros, nomeadamente dos voluntários”.

O presidente da Liga anunciou ainda a realização, esta quarta-feira, de uma reunião do ‘estado-maior’ dos bombeiros, que irá juntar os presidentes do INEM, da LBP, da Escola Nacional de Bombeiros e o Diretor Nacional dos Bombeiros.