As temperaturas máximas vão descer no fim de semana entre três e cinco graus Celsius, apesar de no Alentejo rondarem os 35/36, e o vento soprará mais fraco nos próximos dias, antecipou a meteorologista Cristina Simões, nesta quinta-feira.

“A tendência continua a ser de céu pouco nublado ou limpo, com alguma nebulosidade no litoral oeste durante a manhã. O vento está fraco, soprará mais intenso no litoral e nas terras altas hoje e amanhã [sexta-feira] durante a manhã, sendo que a partir de sexta-feira tende a diminuir até ao fim de semana”, explicou a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, em declarações à agência Lusa.

De acordo com Cristina Simões, as temperaturas máximas vão manter-se elevadas até sexta-feira, sendo que no sábado e domingo a tendência é para que desçam as mais elevadas.

“Dependendo das regiões, sábado podem descer entre três a cinco graus Celsius e no domingo mais um pouco, entre dois a três graus. O fim de semana vai ser mais fresco do que tem estado, mas com menos vento”, sublinhou.

Cristina Simões lembrou ainda que as temperaturas máximas têm rondado em alguns sítios os 40 graus Celsius, valores de referência no Alentejo, sendo esperadas em Évora e Beja 35/36 graus de máxima no sábado e 33/34 no domingo.

“Já em Lisboa, as temperaturas vão estar ligeiramente abaixo dos 30 graus Celsius, sendo esperadas máximas de 28 no sábado e 26 no domingo”, adiantou.

Todo o país em risco 'Muito Elevado' de exposição aos UV

Todas as regiões do país apresentam, nesta quinta-feira, risco ‘Muito Elevado’ de exposição à radiação ultravioleta (UV), informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o instituto, as regiões do Funchal, Porto Santo, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Penhas Douradas, Vila Real, Funchal, Aveiro, Beja, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu, Porto Santo, Horta, Angra do Heroísmo, Ponta Delgada e Santa Cruz das Flores estão com nível ‘Muito Elevado’.

Nas regiões com risco com níveis 'Muito Elevado' e 'Elevado', o instituto recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre menor do que 2, em que o UV é 'Baixo', 3 a 5 ('Moderado'), 6 a 7 ('Elevado'), 8 a 10 ('Muito Elevado') e superior a 11 ('Extremo').

O instituto prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade nas regiões do interior norte e centro durante a tarde e com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e vento fraco, soprando temporariamente moderado de noroeste no litoral a norte do Cabo Raso, e sendo moderado a forte do quadrante norte até ao início da manhã e a partir do final da tarde nas terras altas das regiões norte e centro.

A previsão aponta ainda para a possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal no litoral oeste, pequena subida da temperatura mínima no litoral da região norte e no interior das regiões centro e sul e subida da máxima, em especial no litoral oeste.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado nas vertentes sul, aguaceiros fracos nas vertentes norte e terras altas, vento moderado do quadrante norte, soprando temporariamente forte nas terras altas e descida de temperatura nas terras altas.

Para os Açores, a previsão aponta para períodos de céu muito nublado com boas abertas, possibilidade de aguaceiros fracos e vento fraco a bonançoso.

No que diz respeito às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 18 e 34 graus Celsius, no Porto entre 19 e 31, em Braga entre 18 e 39, em Vila Real entre 19 e 36, em Viseu entre 21 e 36, em Bragança entre 17 e 36, na Guarda entre 18 e 34, em Coimbra entre 16 e 35, em Castelo Branco entre 22 e 39, em Portalegre entre 22 e 37, em Santarém entre 16 e 39, em Évora entre 17 e 39, em Beja entre 18 e 38, em Faro entre 22 e 31, no Funchal entre 20 e 25, em Ponta Delgada entre 19 e 25, na Horta entre 19 e 24 e em Santa Cruz das Flores entre 20 e 24.

27 concelhos em risco 'Máximo' de incêndio

Vinte e sete concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Leiria, Aveiro, Porto, Braga, Vila Real e Guarda apresentam hoje risco ‘Máximo’ de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

O IPMA colocou em risco ‘Máximo’ de incêndio os concelhos de Monchique (Faro), Mação (Santarém), Oleiros, Sertã e Vila de Rei (Castelo Branco), Castanheira de Pera, Pedrógão Grande e Figueiró dos Vinhos (Leiria), Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Arganil, Góis (Coimbra), Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Trancoso e Aguiar da Beira (Guarda).

Em risco ‘Máximo estão ainda os concelhos de Vila Nova de Paiva, Castro Daire, São Pedro do Sul (Viseu) Arouca e Marco de Canaveses (Aveiro), Baião (Porto), Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena (Vila Real), Cabeceiras de Basto, Vieira do Minho e Póvoa de Lanhoso (Braga).

Em risco ‘Muito Elevado’ e ‘Elevado’ de incêndio estão vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre ‘Reduzido' e 'Máximo'.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.