O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) precisou esta sexta-feira que o território nacional está há seis meses em situação de seca severa e extrema, explicando que o valor médio de precipitação está “muito inferior ao normal”.

Quase todo o território está há cerca de cinco a seis meses consecutivos em situação de seca severa e extrema, não se tendo verificado um desagravamento no início do outono como seria normal e se tem verificado em outras situações de seca”, refere o IPMA, em comunicado.

Segundo o documento, entre 1 e 15 de novembro, valor médio da quantidade de precipitação em Portugal continental foi muito inferior ao normal e corresponde a apenas 24% do valor médio mensal.

“A 15 de novembro verifica-se um aumento da área em situação de seca extrema em todo o território de Portugal continental. A 15 de novembro cerca de 6% do território estava em seca severa e 94% em seca extrema”, acrescenta.

O documento esclarece que grande parte das regiões do interior e da região Sul de Portugal continental, apresentam valores de água no solo inferiores a 20%, sendo mesmo “em alguns locais próximos ou iguais ao ponto de emurchecimento”.

Nas regiões do litoral Norte e Centro os valores variavam em geral entre 20 a 60%.

“A situação mais provável no final de novembro corresponde à continuação da severidade da seca, tendo em conta a previsão mensal do Centro Europeu de Previsão do Tempo a Médio Prazo (ECMWF)”, conclui.