Abril está quente, muito quente, com as temperaturas máximas, nos primeiros dez dias do mês, a apresentarem valores acima da média na ordem dos cinco graus centígrados.

De facto, nesta primeira década de abril, os valores das temperaturas máximas estão extremamente altos e, em médio do país, cinco graus acima do normal”, explicou, nesta terça-feira, a climatóloga e responsável pelo departamento de climatologia do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Fátima Espírito Santo, à TVI24.

Curiosamente, as mínimas estão “ligeiramente inferiores” aos valores médios. “Verifica-se uma grande amplitude térmica, como muito calor durante o dia” e noites mais frescas, notou a especialista.

Seis estações do IPMA registaram na segunda-feira (dia 10) temperaturas acima dos 30 graus: Pinhão, Anadia, Coimbra, Cabeceiras de Basto, Rio Maior e Pegões. Foi, até agora, e numa altura em que ainda não está fechado o balanço de hoje, o dia mais quente do mês.

São valores muito altos e em alguns casos com dez graus acima da média”, afirmou.

Outro dado curioso prende-se com o facto de as menores amplitudes térmicas no dia 10 terem sido registadas nas Penhas Dourada e na Guarda.

Tem sido um abril muito quente, sobretudo no que respeita às temperaturas máximas. 87% do país registou temperaturas acima dos 25 graus, os chamados dias de verão, sobretudo de dia”, indicou Fátima Espírito Santo.

Mas este não está a ser o abril mais quente de sempre nem dos últimos anos. Esse estatuto pertence a abril de 2011, que foi o segundo abril mais quente de sempre, ou seja, desde 1931 (o primeiro foi em 1945). Então, Pinhão também registou temperaturas elevadíssimas, com máximas a atingirem os 34,6 graus.

Em 2014 e 2015 também se registaram temperaturas muito altas neste mês.

Em qualquer um destes anos, incluindo 2017, ocorreu uma onda de calor, sendo que a de 2011 foi a mais intensa e de maior duração.”

A presente onda de calor, que atinge o “norte/centro até Elvas/Mértola” e não afeta toda a faixa costeira, confirma-se pelo número de dias consecutivos em que o tempo tem estado muito quente, o que se verificou, para já, até dia 10. Pinhão foi, uma vez mais, a terra mais quente de Portugal, com 31,4 graus registados na segunda-feira (no domingo, os termómetros subiram aos 30,7 e no sábado aos 30,3). Seguiram-se Anadia e Coimbra com 30,5; Mora com 30,3; Cabeceiras de Basto, Rio Maior e Pegões com 30 graus.

Também não houve precipitação nestes dez dias”, salientou a climatóloga, concluindo: “Está a ser um abril que não sendo excecional em termos de temperaturas máximas, apresenta uma situação de tempo extremamente quente.”

Para já, as previsões apontam para uma descida da temperatura a partir de quinta-feira e até ao domingo de Páscoa, data a partir da qual regressa o tempo quente.