O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou esta terça-feira a abertura de um concurso interno na função pública para a admissão de 45 novos inspetores, devendo o estágio ter início no último trimestre deste ano.

Para o SEF, a abertura deste concurso reveste-se da «maior importância», tendo em conta que o último ingresso de inspetores adjuntos ocorreu em 2003.

Fonte do SEF disse à agência Lusa que o concurso para novos inspetores é destinado a funcionários públicos com licenciatura e não devem ter idade superior a 40 anos.

Numa nota, o SEF indica que as recentes alterações ao estatuto do pessoal do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras veio permitir que os novos inspetores sejam recrutados internamente na função pública.

Nesse sentido e após autorização da tutela, o diretor do SEF deu início aos procedimentos necessários ao processo de recrutamento que permitirá a admissão de 45 novos inspetores adjuntos.

A mesma fonte adiantou que a abertura do concurso será publicada nos próximos dias, estando previsto que o estágio, com uma duração mínima de seis meses, tenha início no último trimestre do ano.

O presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF (SCIF/SEF), Acácio Pereira, disse que à Lusa que a abertura de um concurso para novos inspetores é «um avanço», mas considerou que os 45 novos elementos são «insuficientes».

Segundo Acácio Pereira, um dos principais problemas do SEF é a falta de inspetores, uma vez que desde 2003 não há novas admissões neste serviço de segurança.

O presidente do SCIF/SEF adiantou que um estudo realizado pelo sindicato apontava para a necessidade de cerca de 200 inspetores, por isso, este número de novos elementos é «insuficiente», como cita a Lusa.

O sindicalista disse também que novos inspetores são necessários em todo o país, mas as maiores carências são sentidas nos Açores, Algarve, Lisboa e portos marítimos.