O Nordeste Transmontano ganhou uma nova habitante com uma história de vida que começou ao quilómetro 23 do IP2, numa viagem de ambulância que se prolongou por três horas de Freixo de Espada à Cinta à maternidade de Bragança.

Mãe, de 32 anos, e a filha «chegaram perfeitamente estáveis» a Bragança, segundo adiantou à Lusa, nesta quarta-feira, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que assegurou que «o nascimento da criança decorreu sem qualquer complicação», ao final da tarde de terça-feira.

O parto, segundo ainda o INEM, ocorreu antes do tempo, às 32 semanas de gravidez, naquela que foi a quinta tentativa desta mulher para ter filhos e a primeira com sucesso, mas sem tempo para percorrer os cerca de 130 quilómetros que a separavam da maternidade em Bragança.

O INEM foi chamado pelo centro de saúde de Freixo de Espada à Cinta, às 17:20 de terça-feira e enviou uma ambulância de socorro dos bombeiros locais e outra de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Mogadouro, que iniciou o transporte para Bragança cerca de meia hora depois.

No trajeto, de acordo com o relato do INEM, «e perante a iminência do parto, a tripulação decidiu interromper a marcha» e «o nascimento da criança deu-se às 19:00 no interior» da ambulância com o apoio da enfermeira e do técnico de ambulância de emergência.

O local do nascimento foi o «IP2, km 23, sentido Sul/Norte, junto ao cruzamento da Trindade», na zona de Vila Flor.

Para prestar apoio, foi ainda acionada para o local a equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) estacionada junto ao helicóptero de Macedo de Cavaleiros, mas «a intervenção não se revelou necessária, uma vez que o parto decorreu sem qualquer problema», indicou ainda o instituto.

A ambulância SIV continuou depois o trajeto para a maternidade de Bragança, onde chegou às 20:35.

A mãe é de nacionalidade francesa e vive há quatro anos em Lagoaça, no concelho de Freixo de Espada à Cinta, no sul do distrito de Bragança.

A única maternidade desta região fica a norte, na capital de distrito, a uma distância de cerca de 130 quilómetros.

A mulher não fala português e esta «foi a quinta gravidez, nenhuma das anteriores havia tido termo com sucesso», segundo ainda o INEM.

A tripulação da ambulância que realizou o parto era constituída pela enfermeira Carla Barbosa e pelo técnico Bruno Barbosa, «por coincidência irmãos a exercerem funções na SIV de Mogadouro».

Outra coincidência é que a enfermeira em causa tem especialidade em saúde materna e obstétrica.