Médicos e farmacêuticos foram detidos esta quarta-feira no âmbito de uma investigação relacionada com prescrições fraudulentas no Serviço Nacional de Saúde (SNS), disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.

A fonte adiantou que entre os dez detidos na Operação Consulta Vicentina, quatro mulheres e seis homens, está uma médica estrangeira.

A ação de fiscalização conjunta entre a Polícia Judiciária, a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) e o Infarmed decorreu terça-feira e hoje na zona de Lisboa e do Algarve, tendo sido feitas buscas a farmácias e unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

De acordo com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), foram realizadas 33 buscas, entre domiciliárias, não domiciliárias e a consultórios médicos, e foi apreendido diverso material relacionado com a prática da atividade criminosa em investigação.

Também foram constituídas arguidas outras pessoas singulares e coletivas.

A mesma fonte não soube precisar o montante da fraude, referindo apenas que é bastante elevado.

Contudo, num verão de 2012, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, estimou que as fraudes no SNS pudessem atingir os 100 milhões de euros.

A investigação a fraudes no SNS tem sido feita pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) em estreita colaboração com o Ministério da Saúde, no âmbito de um inquérito em curso no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).