O ministro da Saúde, Paulo Macedo, assegurou esta quarta-feira que a questão do aumento do horário de trabalho dos enfermeiros será discutida na reunião entre o seu Ministério e o sindicato daqueles profissionais na reunião de sexta-feira.

«Nós vamos continuar as conversações. Há uma reunião marcada para sexta-feira com o Ministério da Saúde e vamos discutir vários assuntos, esse do horário de trabalho é um deles», disse.

Os enfermeiros iniciaram terça-feira uma greve de dois dias em protesto contra a degradação das condições de trabalho, nomeadamente o aumento do horário de trabalho para as 40 horas semanais sem remuneração, os cortes no setor da saúde, que permitem que existam enfermeiros a ganhar 3,4 euros/hora, e a situação dos profissionais a Contrato Individual de Trabalho.

Paulo Macedo falava aos jornalistas à margem de uma conferência sobre estratégias de Saúde para Cascais, que vai apostar no turismo de saúde, de modo a que quem visita o concelho saiba que ali encontra os melhores serviços da área, revelou o presidente da câmara daquele município, Carlos Carreiras.

A aposta na saúde em Cascais, segundo o autarca, passa também pela instalação do Centro de Saúde de Carcavelos no antigo Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida, o que vai implicar um investimento autárquico de dois milhões de euros.

Em janeiro do ano passado, a Câmara de Cascais comprou ao Estado o edifício do Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida, por 3,55 milhões de euros, tornando-se proprietária de uma vasta área, com prédios urbanos e rústicos e também de uma parcela do terreno do antigo Forte da Junqueira.

Além do centro de saúde, naquele espaço irá também instalar-se o PIN - Clínica de Progresso Infantil, atualmente a funcionar provisoriamente junto ao clube de ténis.

A câmara tem também como objetivo incluir no edifício uma incubadora de empresas ligadas à saúde, dando seguimento a uma aposta do executivo de criar em Cascais um pólo de saúde com várias especialidades e profissionais reconhecidos.