Duas pinturas do artista plástico Júlio Pomar foram vendidas na terça-feira, em Lisboa, por um total de 245 mil euros num Leilão de Antiguidades e Arte Moderna e Contemporânea, em Lisboa, anunciou a leiloeira.

De acordo com o Palácio do Correio Velho, «Circé à la toupie» ou «La Bas Noir», um acrílico sobre tela de 1995, foi vendido por 150 mil euros e «La tigresse», obra em técnica mista com colagens sobre tela, datada de 1978, por 95 mil euros.

A tela «Circé à la toupie» ou «La Bas Noir» - que fez parte da exposição «Júlio Pomar - A Comédia Humana», no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, em 2004 - tinha uma estimativa máxima de 160 mil euros.

«La tigresse» foi realizada por Júlio Pomar, hoje com 88 anos, em Paris, e tinha valores estimados para o leilão até 90 mil euros.

Ainda de Júlio Pomar, vai à praça uma tapeçaria intitulada «O Veado (de Troia), D. Fuas e uma Fumadora de Ópio».

Elaborada na Manufatura de Tapeçarias de Portalegre em 1986, esta tapeçaria de autor tem dois metros de altura por quatro de comprimento, e leva valores estimados entre os 30 mil e os 60 mil euros.

Nascido em Lisboa, em 1926, Júlio Pomar é um dos mais importantes artistas plásticos portugueses, com obra representada em várias coleções nacionais e estrangeiras.

A sua primeira retrospetiva foi organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian, em 1978, à qual se seguiu, em 1986, uma outra apresentada nos Museus de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

O leilão, com 700 lotes, iniciou-se na terça-feira à noite e vai prosseguir até quinta-feira, último dia às 15:00.

Esta quarta e quinta-feira, vão à praça além das obras de arte moderna - incluindo pintura e escultura - também antiguidades, mobiliário português e estrangeiro, porcelana da china, faiança e joias, como reporta a Lusa.