Os doze paquetes que fundearam esta noite no Funchal contribuíram para o espetáculo de fogo-de-artifício na passagem do ano, o mais importante cartaz turístico da ilha da Madeira, subordinado ao tema «Cruzeiros», que durou oito minutos.

Milhares de residentes e visitantes escolheram os mais variados lugares para assistir ao espetáculo evocativo dos 100 anos do processo de construção do porto do Funchal, no qual o Governo Regional investiu cerca de 900 mil euros.

Como é tradição, quando soaram as 12 badaladas, os navios, a grande maioria fundeados na baía da cidade, apitaram dando o mote para o início do espetáculo pirotécnico que encheu de luz e cor os céus do anfiteatro do Funchal.

Na Madeira, estão os navios Aurora,Balmoral,Saga Saphire, Aida Blu, The World, Braemar, Marco Polo, Aidastella, Mein Schiff1, MSC Fantasia e Saga Ruby, além do paquete ¿Funchal¿ que regressou à cidade que lhe deu o nome para uma das noites mais emblemáticas da Madeira.

Segundo a Administração dos Portos da Madeira (APRAM), tal concentração de navios igualou o recorde conseguido em 2007 e trouxeram para a passagem do ano cerca de 30 mil turistas ao Funchal, entre passageiros e tripulantes.

Neste espetáculo, realizado pela Macedo¿s Pirotecnia, foram utilizados cerca de 17 toneladas de fogo, num total de 5.520 quilos de explosivos, que envolveu um total de 61.580 disparos de 48.776 peças de fogo-de-artifício, distribuído por 34 postos, 22 no anfiteatro do Funchal, oito na orla marítima e baixa da cidade e outros quatro colocados no mar.

Visto que a tónica foi os «Cruzeiros», houve um reforço das peças colocadas nas plataformas marítimas que contribuíram para beleza do espetáculo que terminou, como é costume, com uma apoteose de luz e ruído.

Em 2006, o espetáculo pirotécnico da Madeira, que assinala tradicionalmente a passagem de ano, foi considerado pelo Guinness World Records, "como o maior espetáculo de fogo-de-artifício do Mundo¿.

Além do Funchal, outros municípios também assinalaram a chegada de 2014 com fogo-de-artifício, casos da ilha do Porto Santo e dos concelhos do Porto Moniz, Santana e São Vicente (norte da Madeira).

A Secretaria da Cultura, Turismo e Transportes da Madeira aponta para uma ocupação hoteleira no final do ano de 86 por cento, enquanto a Associação Comercial e Industrial do Funchal fala de uma taxa entre os 85 e os 90 por cento nas unidades da costa sul, existindo algumas que estão lotadas.

Depois do espetáculo pirotécnico, a festa prolonga-se pela noite dentro em casas particulares, hotéis e noutros espaços de diversão que organizaram programas especiais para dar as boas vindas a 2014.

Destaque para a iniciativa organizada pela Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes na Praça do Mar, junto ao porto da cidade, onde foi montado um palco que recria uma espécie de sala de dança, um recinto aberto à população que está preparado receber cerca de 10 mil pessoas, como conta a Lusa.