O Grupo dos Amigos de Olivença quer que o rei Filipe VI de Espanha, que realiza nesta segunda-feira uma visita oficial a Portugal, sensibilize o governo de Madrid para a resolução do litígio entre os dois Estados ibéricos.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Grupo dos Amigos de Olivença, Fernando Castanhinho, disse que a questão de Olivença continua por resolver, porque Portugal não reconhece a soberania espanhola sobre aquele território.

«Queremos aproveitar a visita de Filipe VI para relembrar a questão e sensibilizar o novo rei de Espanha para um litígio que não está resolvido», sublinhou.

De acordo com Fernando Castanhinho, a ideia é relembrar um litígio territorial que existe entre Portugal e Espanha desde há 200 anos.

«Como todos sabemos, o Estado português não reconhece a 'espanholidade' de Olivença e recusa-se a delimitar a fronteira comum entre os dois países no troço do rio Guadiana que corresponde ao território de Olivença», salientou.

Fernando Castanhinho lembrou que o litígio causa «mal-estar e desconfiança entre os dois estados ibéricos» e «deve ser ultrapassado».

«Sempre que um chefe de Estado espanhol vem a Portugal a questão de Olivença pode ser discutida entre os dois países. Como esta é a primeira vez que o novo rei de Espanha vem a Portugal, torna-se imperativo relembrar que este litígio pode afetar o bom relacionamento entre os dois estados», disse.

O presidente do Grupo dos Amigos de Olivença instou ainda o Presidente da República, Cavaco Silva, a abordar hoje a questão com o novo chefe de Estado de Espanha, ¿para que um dia Olivença volte ao território português¿.

Os reis Felipe VI e Letizia realizam hoje uma visita oficial a Portugal, a primeira como monarcas de Espanha, encontrando-se com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, com a presidente da Assembleia da República e com o primeiro-ministro.

De acordo com informação divulgada pela Presidência da República, a visita oficial dos reis de Espanha inicia-se pelas 11:20 no Palácio de Belém, onde serão recebidos com honras militares.

Após a assinatura do Livro de Honra, o Presidente da República e a mulher, Maria Cavaco Silva, encontram-se com os reis de Espanha, estando prevista depois uma reunião entre Cavaco Silva e Felipe VI, com a participação das respetivas delegações, no final da qual haverá declarações à comunicação social.