A acumulação de lixo no município de Loures devido à greve da Valorsul ainda não tomou proporções graves, mas a autarquia está a monitorizar a situação e pronta para tomar medidas, disse esta quarta-feira à Lusa fonte da câmara.

Embora admita que começa a ficar lixo acumulado em alguns pontos do concelho na sequência da greve dos trabalhadores da central de tratamento de resíduos Valorsul, fonte da presidência da câmara municipal garantiu que a situação está a ser monitorizada.

A mesma fonte adiantou que os problemas «não são ainda de grande gravidade», a avaliar pelos dados recolhidos até à noite de terça-feira.

«Hoje de manhã [terceiro dia da greve] irá fazer-se uma nova avaliação e serão tomadas medidas imediatas para que o lixo não fique acumulado, medidas essas que passam por colocar mais contentores, arrumar o lixo em sacos maiores e, em última instância, os resíduos serem recolhidos e ficarem dentro dos carros» de recolha, explicou.

Segundo a mesma fonte, as medidas estão previstas desde domingo e serão colocadas em prática caso se justifique.

Na Baixa da cidade de Lisboa, a Lusa constatou que não é visível lixo acumulado nas ruas, e duas turistas suecas, que chegaram à capital no domingo, disseram que não se aperceberam de qualquer problema, chegando mesmo a avançar terem ficado «impressionadas» com a limpeza das ruas.

Já no Chiado, há ruas onde é visível a existência de muito lixo acumulado, tendo uma trabalhadora da câmara de Lisboa avançado à Lusa que o carro de recolha não passou durante a noite.

Os trabalhadores da Valorsul cumprem hoje o terceiro de quatro dias de greve, que começou às 00:00 de segunda-feira e termina na quinta-feira.

Na origem da paralisação está a privatização de 100% da participação do Estado na Empresa Geral de Fomento, uma sub-holding do grupo Águas de Portugal para o setor dos resíduos, aprovada no final de janeiro pelo Conselho de Ministros.

A EGF é responsável pela recolha, transporte, tratamento e valorização de resíduos, através de 11 empresas concessionárias, da qual faz parte a Valorsul, situada no concelho de Loures e que atua em 19 municípios da Área Metropolitana de Lisboa e da zona Oeste.

A empresa serve os municípios de Alenquer, Alcobaça, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lisboa, Loures, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Odivelas, Peniche, Rio Maior, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.