A CP informou hoje que vai reportar às autoridades um vídeo divulgado na Internet em que uma mulher, que não é funcionária da empresa, aparece alegadamente a conduzir um comboio alfa.

Numa nota enviada à agência Lusa, a CP admitiu haver dificuldades na «confirmação da veracidade» das imagens, que terão sido gravadas através de um telemóvel, assim como na «identificação do comboio específico, data e viagem em que tal situação poderá, eventualmente, ter ocorrido».

Assim, a CP decidiu «reportar a situação às autoridades competentes para que sejam conduzidas as necessárias averiguações», nomeadamente para confirmar a situação e identificar as circunstâncias e as pessoas envolvidas.

«Após as devidas averiguações, não deixará de retirar as devidas consequências dos factos apurados», garantiu a empresa, numa resposta escrita, na qual adianta ter conhecido ao final da tarde de hoje as imagens que «parecem apontar para a presença de um elemento estranho à empresa na cabine de condução de um comboio Alfa Pendular, aos comandos da composição».

Na pesquisa efetuada, a CP indicou que a colocação inicial do vídeo terá sido em 2011, «embora a sua disseminação só tenha ocorrido hoje».

A empresa lembrou a existência de regulamentos internos que proíbem a «presença de elementos estranhos à tripulação dos comboios em cabines de condução, exceto se devidamente autorizados».

«O acesso e permanência às cabines de condução só é permitido mediante apresentação de documentação específica para o efeito. O não cumprimento destas determinações constitui infração passível de consequências disciplinares graves ou outras de contornos diferentes, que se venham a revelar adequadas aos factos apurados», precisou a CP.