O presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte admitiu esta terça-feira que a situação no Hospital da Feira é «preocupante» e estão a procurar-se «respostas às necessidades», mas garantiu que todas as cirurgias prioritárias estão a ser feitas.

Segundo noticia o «Jornal de Notícias», estão a ser adiadas cirurgias programadas por falta de camas, devido ao aumento significativo dos internamentos. Castanheira Nunes justifica que adiar cirurgias que não são prioritárias «é um ato de gestão».

«Todas as cirurgias prioritárias estão a ser feitas, não só em Santa Maria da Feira, como em todos os hospitais do Norte. Santa Maria da Feira é um caso preocupante, como outros, e nessa medida temos tentado retirar os doentes agudos que já estão em estado de convalescença para outras unidades, o que permite descongestionar a afluência que tem vindo a verificar-se nessa unidade».


Assegurando que se está atualmente «a tentar encontrar respostas às necessidades que existem em termos do aumento da procura relativamente a doentes com maior gravidade», o presidente da ARS Norte apontou como exemplo o recurso aos acordos existentes com as Misericórdias com o objetivo de para ali transferir «os doentes que já estão num estado clínico de convalescença», libertando camas «para os doentes agudos que chegam da urgência».