O Instituto Politécnico do Porto (IPP) é o primeiro estabelecimento de ensino português escolhido pela Universidade de Stanford, Califórnia, para parceiro numa pós-graduação em Inovação de Produto, disse esta segunda-feira fonte da instituição portuense.

As inscrições para a primeira edição do curso, que se inicia em setembro e termina em junho, estão abertas e as aulas vão decorrer na Porto Design Factory (PDF), estrutura recentemente criada pelo IPP e onde se desenvolvem projetos comuns às sete escolas do Instituto Politécnico do Porto.

Ouvido pela agência Lusa, o coordenador da PDF, Rui Coutinho, explicou que todos os anos a Universidade de Stanford escolhe dez escolas superiores em todo o mundo e, na sua opinião, esta parceria é "muito relevante" por permitir trabalhar com uma das universidades "mais prestigiadas do mundo".

Para Rui Coutinho, a colaboração com aquela academia norte-americana, representa o "reconhecimento do talento" dos docentes do IPP e dos seus alunos. Acrescenta que as duas instituições "partilham a mesma metodologia e a mesma filosofia".

Em comunicado, o IPP assinala que o curso, que agora chega a Portugal, já se realiza há 40 anos em Stanford e tem como objetivo preparar os alunos para "práticas de engenharia e ‘design’ de inovação numa perspetiva de cooperação global, atendendo a que esta adiciona diversidade e cultura que, por sua vez, melhoram a inovação".

Os alunos vão trabalhar com as necessidades de empresas reais em termos de engenharia de produto, "desenvolvendo uma ou várias soluções que sejam concretizáveis", lê-se na nota informativa.

Embora o curso - que se intitula 'ME310' – vá decorrer na Porto Design Factory, os alunos vão ter a oportunidade de se deslocar duas vezes à Universidade de Stanford durante o período de formação.

A primeira edição desta pós-graduação vai integrar quatro equipas de sete alunos (quatro do IPP e três de Stanford) e as inscrições podem ser feitas a partir de hoje na página de internet do Instituto Politécnico do Porto.