Mais de 400 acidentes domésticos ou de lazer registam-se em Portugal todos os meses, com as quedas a serem a principal causa no período de quase quatro anos analisado pelo Instituo Nacional de Saúde Ricardo Jorge.

Partindo de dados dos serviços de urgência do Serviço Nacional de Saúde (SNS), investigadores do Instituto Ricardo Jorge (INSA) analisaram acidentes em casa e em lazer ocorridos entre 1 de janeiro de 2010 e 30 de setembro de 2014, período durante o qual foram reportados 24.752 casos

A distribuição por grupo etário de todos estes casos revelou proporções mais elevadas de acidentes nos homens até aos 55 anos, enquanto acima dos 55 são as mulheres as que apresentam maiores percentagens de acidentes.

“Esta observação poderá ser explicada pelo facto de os homens preferirem atividades com maior risco físico ou práticas desportivas mais radicais”, referem os autores do relatório do INSA que contém os dados do sistema EVITA – Epidemiologia e Vigilância dos Traumatismos e Acidentes.


Já em relação ao predomínio de acidentes nas mulheres mais velhas, a explicação pode estar no facto de a população geral conter uma maior proporção de mulheres em idades mais avançadas.

As quedas foram as principais causas de lesões nos acidentes domésticos e de lazer, destacando-se de forma pronunciada no período analisado.

Já o tipo de lesão mais frequente resultante de acidentes em casa ou em atividades de lazer foram as contusões/hematomas, constituindo metade de todas as lesões, seguidas das feridas abertas.

O artigo do INSA recorda que os acidentes domésticos e de lazer representaram 42% das 233 mil mortes por acidente registadas na União Europeia no período entre 2008 e 2010, motivando ainda mais de 22 milhões de hospitalizações.