Quatro incêndios em mato e em floresta estavam activos ao fim da tarde desta terça-feira, estando já circunscrito o fogo que deflagrou no Parque Natural da Peneda Gerês, em Montalegre, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), citada pela Lusa.

Incêndios: accionado alerta amarelo em 12 distritos

O concelho de Montalegre foi o mais afectado pelos incêndios. Apesar de já estar extinto o de Veredo e circunscrito o de Abelheira, está ainda activo um fogo em mato na localidade de Sacoselo, que mobiliza 35 bombeiros, oito veículos, uma equipa de Sapadores Florestais e um helicóptero.

De acordo com a ANPC, os incêndios que às 18h30 estavam por circunscrever

lavravam na Encosta do Gião, Arcos de Valdevez (Parque Natural da Peneda Gerês), em Lodeiro, Castro Daire (Viseu) e Lousa, Torre de Moncorvo (Bragança).

No total, estes três incêndios estão a ser combatidos por 65 bombeiros apoiados por sete viaturas, além de estarem também no terreno equipas dos Sapadores Florestais e do Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro da GNR

-Está também circunscrito o fogo que deflagrou às 14h04 em Magueija, concelho de Lamego.

Maus acessos dificultam combate ao incêndio de Sacoselo

Os maus acessos e o vento estão a dificultar o combate ao incêndio em Sacoselo, concelho de Montalegre, onde já arderam vários hectares de mato e pinhal, disse o segundo comandante operacional do distrito de Vila Real.

O incêndio deflagrou às 13h35 e ainda não foi circunscrito pelos 35 bombeiros que estão no terreno, os quais contam com o apoio de oito viaturas, um helicóptero bombardeiro pesado e equipas de sapadores florestais.

Almor Salvador referiu que a acção dos bombeiros está a ser dificultada pelos os maus acessos e o vento que se faz sentir na região.

Chamas em Arcos de Valdevez pouparam Parque da Peneda-Gerês

O incêndio florestal que está a lavrar na Encosta do Gião, em Arcos de Valdevez, não afectou área do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), informou a Protecção Civil de Viana do Castelo.

O segundo comandante distrital, Robalo Simões, garantiu que, ao contrário do que consta no site da Autoridade Nacional de Protecção Civil, aquele incêndio «está fora» do PNPG.

Também não há qualquer habitação em perigo.