A fase "Charlie" de combate a incêndios florestais, a mais crítica, começa este sábado e só termina a 30 de setembro, apesar de ter existido um reforço de meios durante o fogo que deflagrou em Pedrógão Grande, segundo o Ministério da Administração Interna (MAI).

Numa resposta enviada à agência Lusa, o MAI refere que a fase "Charlie", em que o dispositivo de combate está na sua máxima força, começa este sábado.

No entanto e durante o incêndio que deflagrou a 17 de junho em Pedrógão Grande, quando ainda estava em vigor a fase "Bravo", a segunda mais crítica, os meios de combate foram reforçados durante a semana em que duraram os fogos na região centro e que provocaram a morte de 64 pessoas e ferimentos em 200.

A postos estão mais de 9.700 operacionais e duas mil viaturas.

O dispositivo de combate conta ainda com 48 meios aéreos e 236 postos de vigia da GNR.

A fase "Charlie" arranca quando já arderam este ano 70 mil hectares e depois do fogo que causou o maior número de mortos e feridos em Portugal.

Proteção Civil alerta para perigo de fogos florestais nos próximos dias

A Autoridade Nacional de Proteção Civil alertou sexta-feira para o perigo de incêndio florestal nos próximos dias, com a subida gradual da temperatura máxima até segunda-feira e redução da humidade relativa do ar, sem retorno significativo durante a noite.

Após contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Proteção Civil (ANPC) anunciou para domingo o aumento da temperatura máxima para valores entre 33ºC e os 35ºC na região sul, do Vale do Tejo e distritos de Leiria e Coimbra.

Prevê-se ainda vento em geral fraco do quadrante leste, soprando moderado (até 30 km/h) no Algarve até ao final da manhã e no litoral Oeste, de noroeste, durante a tarde.

Nas terras altas o vento soprará forte (até 45 km/h) do quadrante Leste, até meio da manhã e a partir do final da tarde.

Para segunda-feira, haverá aumento da temperatura máxima para valores entre 36ºC e os 39ºC na região sul, Vale do Tejo e Coimbra.

A ANPC prevê "noites tropicais, em particular na região de Lisboa, Santarém e Setúbal, com valores mínimos de temperatura de 20ºC. Vento em geral fraco do quadrante leste, sendo forte (até 40 km/h) nas terras altas, até ao meio da manhã e a partir do final da tarde, soprando moderado (até 25 km/h) de noroeste, no litoral Oeste, durante a tarde".

Segundo a Proteção Civil, os índices de risco de incêndio atingirão, no domingo, o nível muito elevado a máximo na região do Algarve e regiões do interior centro e nível de muito elevado a elevado nas regiões abaixo do eixo montanhoso Montejunto/Estrela.

Face à evolução das condições meteorológicas, A ANPC considera expectável "tempo quente e seco e vento moderado com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios florestais, pelo que lembra que não é permitido a realização de queimadas, de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confeção de alimentos”.

Com medidas preventivas, estão também proibidas a utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos e queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, bem como o lançamento de balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes.

Proibido é também fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem, assim como a fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

Quanto aos cuidados a ter na realização de trabalhos agrícolas e florestais, a ANPC aconselha a manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras, a abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação e a ter cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

(Noticia incialmente publicada a 30 de junho)