O incêndio que lavra há dois dias em Vila Flor, distrito de Bragança, continua com duas frentes ativas.

«A situação mais aflitiva já passou», afirmou à Lusa João Noel, comandante operacional distrital de Bragança, referindo-se ao momento em que as chamas estiveram próximos da aldeia de Mogo de Ansiães, no concelho vizinho de Carrazeda de Ansiães.

O incêndio está cerca das 21:00 desta quarta-feira a ser combatido por 177 operacionais, 49 viaturas e máquinas de rasto.

O fogo deflagrou na madrugada de terça-feira na zona de Samões, Vila Flor, e propagou-se hoje a Carrazeda de Ansiães.

O responsável operacional no terreno ainda não tem uma previsão sobre quando é que as chamas poderão ser dominadas, indicando apenas que o combate «está a evoluir favoravelmente».

Este é o único incêndio do distrito de Bragança que constava entre as nove ocorrências mais significativas divulgadas, às 20:00, na página da Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Os distritos do Porto, Viseu e Guarda são os que registam o maior número de ocorrências, com dois incêndios cada.

Entre os fogos mais significativos estão também os que lavram em Coimbra, Vila Real e Braga.