O incêndio que lavra na Covilhã, distrito de Castelo Branco, desde sábado pelas 15:00 e obrigou à evacuação de uma aldeia e um parque de campismo, está dominado, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

De acordo com as informações constantes da página da ‘internet’ da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), este incêndio mobilizava ainda, pelas 21:30, 364 operacionais, apoiados por 118 veículos e dois meios aéreos.

Este incêndio chegou a ameaçar povoações e levou também ao corte da Estrada Municipal 508, na zona de Cortes do Meio, que entretanto já reabriu.

O presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira, disse à agência Lusa que uma das frentes do incêndio “vai na direção de uma outra zona que já ardeu há umas semanas”.

Já ardeu tanta área que não há mais por onde arder”, sublinhou, afirmando que existem “pequenos focos em todo o perímetro do incêndio, mas que não vão causar males maiores”.

Segundo o autarca, as condições estão mais favoráveis ao combate às chamas, porque apesar de estar calor, “não há vento”.

Vítor Pereira observou também que “não há danos a registar em habitações”, e também “não há feridos”.

Quanto às 15 pessoas que foram retiradas da aldeia de Casal da Serra, o presidente da Câmara da Covilhã explicou que eram “pessoas que estavam mais fragilizadas”, nomeadamente com “problemas de isolamento, mobilidade ou de saúde”.

Entretanto já regressaram às suas casas”, vincou.

Quanto ao parque de campismo de Pião, de onde foram retiradas 80 pessoas, também “já está a ser novamente ocupado”.