O incêndio florestal que deflagrou esta sexta-feira, pelas 14:14, na zona de Vila Cã, no concelho de Pombal, continua esta noite a lavrar com intensidade, aproximando-se de algumas localidades, mas sem que estas tenham sido evacuadas.

As chamas progridem em direção ao concelho de Ourém (distrito de Santarém), no sentido das povoações de Lagoa de Santa Catarina e Ribeira do Fárrio, na freguesia de Abiúl (concelho de Pombal), disse à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

No terreno, envolvidos no combate às chamas, estão cerca de quatro centenas de operacionais.

Os meios de combate estão essencialmente preocupados em defender habitações e outro tipo de edificações, sublinhou a mesma fonte, referindo que o efetivo mobilizado para o local já foi reforçado por 12 grupos, oriundos designadamente dos distritos de Aveiro, de Santarém e de Lisboa.

Pelas 20:00, o incêndio, que cerca de uma hora pouco depois de ter deflagrado estava a ser combatido por cinco meios aéreos, mobilizava 398 operacionais e 98 meios terrestres, precisou a mesma fonte. Entretanto, com o cair da noite, os meios aéreos deixaram de operar.

O fogo teve início num povoamento florestal próximo de Pipa, na freguesia de Vila Cã, concelho de Pombal, estando já essa frente controlada, mas mantém-se ativo, em Abiul, igualmente no município de Pombal, podendo colocar “casas em perigo”, disse à agência Lusa, pela mesma hora, a presidente da Junta de Freguesia de Abiul, Ana Tenente.

Também às 14:14, teve início outro incêndio, em povoamento florestal de Avelar, no concelho de Ansião, vizinho de Pombal e também do distrito de Leiria.

Este fogo, que, por “precaução”, implicou a evacuação de um complexo escolar, estava, pelas 20:30, em fase de conclusão ("extinto, com pequenos focos de combustão" dentro do seu perímetro), de acordo com a página da ANPC na internet.