A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, garantiu esta quarta-feira que o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) “está preparado para enfrentar” a época de fogos, mas admitiu que as condições meteorológicas têm influência.

“Estamos preparados para enfrentar esta época de incêndios”, disse Anabela Rodrigues na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

A ministra adiantou que o DECIF de 2015 foi preparado “tendo como referência os anos mais severos” e destacou a aposta na prevenção e o reforço dos recursos, formação e treino.

Porém, sublinhou que as condições meteorológicas “não podem ser ignoradas”, sendo “um aspeto que tem influência” na época dos fogos.

“O dispositivo está preparado para enfrentar todos os aspetos, mesmo os mais difíceis”, afirmou.


A época mais crítica de incêndios florestais, que decorre entre 01 de julho e 30 de setembro, vai este ano contar com um total de 2.234 equipas, 2.050 veículos, 9.721 operacionais e 49 meios aéreos,

Segundo o DECIF, o dispositivo vai ser este ano reforçado com 17 equipas de combate a incêndios florestais e três equipas permanentes no distrito de Viana do Castelo.

Os incêndios florestais mais do que quintuplicaram este ano em relação a 2014, tendo-se registado 4.320 fogos desde o início de 2015, segundos dados enviados à agência Lusa pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

A ANPC, que cita dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), entidade que compila a informação relativa às ocorrências, adianta que se registaram, até 05 de maio, 4.320 incêndios florestais, mais 3.474 do que no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 846 fogos.