A Polícia Judiciária (PJ) da Guarda anunciou esta quinta-feira a detenção, em Seia, de um reformado de 73 anos, pela alegada prática de um crime de incêndio florestal ocorrido naquele concelho.

Segundo uma nota do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, o homem é suspeito da autoria de um crime de incêndio florestal, ocorrido no dia 07 deste mês, na freguesia de Girabolhos.

«O incêndio teve origem na ignição direta de vários sobrantes de exploração agrícola do próprio detido, consubstanciando um procedimento que anteriormente já lhe estava referenciado e que é legalmente proibido durante o 'período crítico', atualmente vigente, propagando-se rapidamente, por radiação, à extensa mancha de combustível horizontalmente confinante», refere a PJ no comunicado.

Assinala que o incêndio destruiu cerca de quatro hectares de área, formada por várias espécies de árvores e vegetação.

As chamas foram prontamente combatidas por vários elementos da população local e pelos bombeiros, indica o comunicado enviado esta quinta-feira à agência Lusa.

A fonte refere que o incêndio florestal, «para além do forte alarme e inquietação provocados na população», colocou em perigo um armazém agrícola localizado nas imediações do local onde deflagrou.

O detido vai ser presente às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e eventual sujeição a medidas de coação.

No mesmo comunicado, a PJ da Guarda destaca «a boa colaboração mais uma vez prestada pela GNR de Seia».