A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta quinta-feira, a detenção de um guarda vigilante e do seu filho por serem suspeitos de terem ateado um incêndio florestal em Cinfães, no norte do distrito de Viseu.

Em comunicado, a PJ explica que "a detenção foi o culminar de uma investigação a um crime de incêndio florestal ocorrido no passado dia 28 de agosto", na localidade do Covelo, na freguesia de Ferreiro dos Tendais.

Nesse dia, "os suspeitos terão impedido que elementos do GIPS (Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro) da GNR efetuassem o combate a um incêndio florestal", acrescenta.

Os detidos são o guarda vigilante de 58 anos e o seu filho de 34 anos, carpinteiro, que vão ser presentes à autoridade judiciária para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação.

A Polícia Judiciária anunciou, também, a detenção de um jovem de 18 anos suspeito de ter ateado um fogo em Valpaços, elevando para 80 os detidos este ano pelo crime de incêndio florestal.

A detenção do empregado de bar foi feita pelos inspetores da Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real

Segundo explicou a PJ, em comunicado, o incêndio ocorreu no dia 06 de setembro, cerca das 21:30, na localidade de Lebução, concelho de Valpaços, distrito de Vila Real.

A polícia referiu que este fogo “colocou em perigo área florestal e habitações, que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros”.

O jovem vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação tidas por adequadas.

A Polícia Judiciária anunciou ainda que, este ano, já identificou e deteve 80 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.