O fogo que se reacendeu em Nisa, esta manhã, chegou ao IP2, numa questão de minutos. Os bombeiros começaram por tentar combater as chamas na zona de mato, mas optaram por deixar o fogo chegar à estrada, para conseguirem apagar o incêndio com mais facilidade. Já há um meio aéreo no local.

O fogo que lavra em Nisa chegou também, esta manhã, à zona da barragem do Fratel e atingiu um antigo empreendimento, que antes incluía um hotel e um restaurante. A estrutura do empreendimento acabou por arder. 

Por agora, o incêndio na zona da barragem está controlado. Há um meio aéreo no local, a fazer descargas em reacendimentos, que acontecem um pouco por toda a área ardida. O meio aéreo acabou por chegar tarde ao local, segundo constatou a TVI no local. 

A área ardida era uma zona de mato denso e muito seco, que não estava limpa, o que fez o incêndio avançar muito rapidamente.

Os bombeiros estão, agora, preocupados com os reacendimentos, porque há o receio de que as chamas atinjam a hidroelétrica.

O vento forte que soprava esta manhã na região empurrou as chamas. Inicialmente, no local, os únicos meios de combate ao fogo estavam junto à hidroelétrica para evitar projeções.

A subida das temperaturas deverá agravar a situação.

O incêndio está a ser combatido por 249 operacionais, 69 veículos e quatro meios aéreos.

Por enquanto, não há aldeias em perigo.

Durante a noite, a autarquia foi obrigada a ativar o plano de emergência para apoiar a população de “forma mais eficiente”.

O fogo em Nisa, no distrito de Portalegre, com origem no que lavra em Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco, chegou a estar dominado em cerca de 90%, mas agravou-se na quarta-feira.

As chamas obrigaram à evacuação de várias localidades, afetando cerca de 100 pessoas.