Mais de 80 operacionais e três meios aéreos estavam, pelas 11:00, concentrados na "defesa dos lugares de Castro Laboreiro, no Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG) em Melgaço, disse à Lusa o presidente da Câmara local.

"Neste momento não temos casas ameaçadas, mas os meios aéreos e os homens no terreno, envolvidos no combate às chamas, estão a fazer tudo para proteger os vários lugares da freguesia de Castro e conter o perímetro do incêndio", afirmou Manoel Batista.

O autarca socialista explicou que o "fogo veio de Arcos de Valdevez e entrou em Melgaço, no domingo às 08:55" e além de Castro Laboreiro, "freguesia mais afetada, está também a lavrar em Lamas de Mouro".

"A freguesia de Castro Laboreiro tem 90 habitantes, mas muito dispersos pelo território. A freguesia tem 44 lugares e o objetivo é procurar defender os primeiros lugares que fazem fronteira com Arcos de Valdevez, por onde entrou o fogo", frisou.

Segundo a informação disponibilizada na página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), neste incêndio, a única ocorrência importante no país, além dos operacionais e dos três meios aéreos pesados estão envolvidos 24 meios terrestres.