Atualizada às 22:57

Quatro incêndios mobilizam centenas de bombeiros no distrito da Guarda, onde um fogo chegou a aproximar-se de bairros periféricos da vila de Almeida, mas sem necessidade de retirar a população das suas casas.

Em declarações à Lusa cerca das 22:15, o comandante distrital de operações de socorro da Guarda, António Fonseca, afirmou que a esta hora havia ainda «quatro incêndios por dominar: dois no concelho de Seia, um em Almeida e um no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo».

Segundo o responsável, o incêndio que lavra desde as 12:47 em Alvoco da Serra, Seia, «está a ceder ao combate», mas será, entre os fogos que atingem o distrito, o que «vai demorar mais tempo a dominar», por lavrar numa zona de «muito difícil acesso».

O fogo chegou a ter três frentes ativas, mas desde as 22:14 que tem apenas uma frente, de acordo com informação disponibilizada na página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

As chamas estão a ser combatidas por 115 operacionais, apoiados por 35 veículos.

O incêndio que deflagrou pelas 12:42 em Senouras/Leomil, concelho de Almeida, «progrediu em direção à vila de Almeida e esteve mesmo junto aos bairros periféricos», onde a principal preocupação era a existência de habitações e de postos de gasolina, mas não foi necessário retirar pessoas das suas casas, segundo o mesmo responsável.

De acordo com a Proteção Civil, pelas 22:25, este fogo tinha três frentes ativas e mobilizava 170 homens e 52 veículos.

Em Teixeira de Cima/Teixeira, Seia, um incêndio teve início pelas 13:01 e pelas 22:13 ainda lavrava em duas frentes, estando a ser combatido por 181 operacionais e 59 veículos, segundo a mesma página oficial.

O comandante de operações de socorro do distrito da Guarda adiantou ainda à Lusa a existência de um quarto incêndio, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, que lavra desde o início da noite numa zona de afloramentos rochosos, de pastagem e com pouca vegetação.

«Vai durar algum tempo, mas não tem a mesma preocupação que os incêndios do concelho de Seia ou de Almeida», revelou António Fonseca. Este fogo não surge ainda no site da Proteção Civil, que apenas destaca ocorrências com mais de duas horas, ou mais de dez veículos ou mais de três meios aéreos envolvidos.

Durante o dia, os bombeiros combateram ainda um outro incêndio na zona da serra da Marofa, concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, «que também teve alguma dimensão durante a tarde», mas que foi entretanto dominado.

A página da Proteção Civil dá conta de nove incêndios ativos no país às 22:00.