O município de Torre de Moncorvo decretou esta noite o Estado de Emergência Municipal (EMM) devido ao incêndio com duas frentes que desde a tarde lavra no concelho e está a ser combatido por 261 operacionais.

O presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves, disse à agência Lusa, no local, que também foi acionado o Plano Municipal de Emergência, cerca das 22:00.

Dadas as proporções que o incêndio assumiu, decidimos em conjunto, com diversas entidades ativar o EMM. O incêndio atravessou várias freguesias do concelho desde a Açoreira, Moncorvo, Felgueiras e Felgar. Há muitos prejuízos a registar obrigou a que fossem tomadas todas medidas", frisou o autarca.

O autarca disse que espera que a noite traga alguma acalmia, já que o vento chegou a ultrapassar velocidades superiores a 50 quilómetros/ hora.

Esperamos que a noite nos ajude, já que a temperatura baixou e a humidade relativa poderá ser um fator favorável para evitar reacendimentos", precisou.

Mata de carvalhos afetada

Nuno Gonçalves disse ainda que a Mata Nacional do Reboredo, que detém uma das maiores manchas de carvalho branco da Europa, "foi bastante afetada".

O pulmão verde de Torre de Moncorvo foi completamente afetado", indicou.

Entretanto, o grupo operacional que combate o incêndio que à tarde deflagrou em Torre de Moncorvo foi reforçado em 173 elementos e mais 73 viaturas, segundo disse à Lusa, fonte da Proteção Civil Municipal.

Segundo a mesma fonte, a combater este incêndio, com duas frentes, que deflagrou às 14:02 na freguesia de Açoreira, no concelho de Torre de Moncorvo, estão agora 261 operacionais e 91 viaturas, entre elas mais sete máquinas de rasto que fazem parte do reforço.

A fonte adiantou que este reforço de 173 operacionais é proveniente dos distritos de Braga, Lisboa e Setúbal e às 21:45 já estava no local, a ser colocado no cenário de combate ao fogo.

Segundo informações recolhidas junto do posto de comando, instalado há cerca de duas horas, não há aldeias em perigo, mas o Comandante Operacional Distrital (CODIS) está ainda a fazer o reconhecimento.

O fogo está a consumir uma zona essencialmente povoada de mato, castanheiros e amendoal, tendo passado pela Serra de Reboredo, tida como uma das maiores manchas de carvalho branco da Europa.

O fogo está a lavrar em duas frentes, sendo avistado da Estrada Nacional 220, que liga Torre de Moncorvo ao cruzamento de Freixo de Espada à Cinta.