Dois incêndios estão esta tarde a lavrar com intensidade no concelho de Mangualde, depois do fogo de Abrunhosa-a Velha ter reativado, disse à Lusa uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

De acordo com a fonte, o fogo em Abrunhosa-a Velha reativou ao final da tarde desta segunda-feira, estando a ser combatido por 166 operacionais, apoiados por 50 meios terrestres e um meio aéreo.

O fogo em Póvoa de Cervães mantém-se, encontrando-se no teatro de operações às 19:00 desta segunda-feira 197 operacionais, apoiados por 59 meios terrestres e quatro meios aéreos.

Neste fogo tivemos situações pontuais em que foi necessário reforçar a defesa de algumas habitações, nomeadamente em Chãs de Tavares, mas a situação está controlada e ultrapassada, sem vítimas a registar. As únicas casas afetadas são as duas de ontem [domingo], em que os habitantes foram deslocados para casas de familiares", explicou.

No domingo algumas habitações foram sendo "tocadas", porque estavam na linha de fogo, duas das quais foram parcialmente afetadas na zona de Contenças de Cima.

A ANPC referiu, ainda, que a dificultar o combate nestes dois incêndios do concelho de Mangualde está o aumento do vento, que "provocou algumas projeções".

"Foi necessário reposicionar meios neste teatro de operações e é isso que estamos a fazer", concluiu.

Estes incêndios deflagraram no domingo cerca das 16:00. Três incêndios começaram num intervalo de tempo curto - de 17 minutos -, entre as 15:52 e as 16:09 de domingo, nas freguesias de Abrunhosa-a-Velha, de Cunha Baixa e de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães (concelho de Mangualde), de acordo com a ANPC.