O incêndio rural que esta quinta-feira destruiu uma casa de primeira habitação na freguesia de Vila Fernando, no concelho da Guarda, deixando desalojado um homem com 54 anos, encontra-se em fase de resolução.

De acordo com informação disponível na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), pelas 17:00 o fogo estava em resolução (incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido) e envolvia no seu combate 84 elementos, auxiliados por 26 viaturas.

O presidente da Junta de Freguesia de Vila Fernando, Bruno Pina Monteiro, referiu que o incêndio rural que deflagrou pouco depois das 13:00 destruiu uma casa de habitação, no sítio da Quinta do Pinheiro, e uma área de pinhal e mato.

O autarca adiantou à Lusa que o desalojado "vai ficar hoje a pernoitar nas instalações da Junta de Freguesia".

Bruno Pina Monteiro adiantou que o fogo começou em três locais distintos da Freguesia de Vila Fernando, junto da Linha Ferroviária da Beira Alta (Guarda-Vilar Formoso).

Pelas 17:20 estavam dois incêndios ativos no distrito da Guarda, um em Miuzela, no concelho de Almeida, e outro em Reigada, no município de Figueira de Castelo Rodrigo.

De acordo com informação disponível pela ANPC, o incêndio no concelho de Almeida, que teve início pelas 13:20, estava a ser combatido por 50 elementos, auxiliados por 15 veículos e quatro meios aéreos.

Já o fogo que eclodiu no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, pelas 15:30, envolvia no seu combate 40 homens, 20 veículos e dois meios aéreos, segundo a fonte.