O incêndio que eclodiu este domingo na Reserva Natural da Serra da Malcata e chegou a estar dominado está a lavrar novamente desde o meio-dia, informou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco.

A fonte do CDOS disse à agência Lusa que o fogo deflagrou cerca das 10:05, em Marvaninha, no concelho de Penamacor, mas foi considerado extinto às 11:16, tendo-se registado o seu reacendimento às 12:05.

As chamas avançam agora com apenas uma frente e estão a destruir um povoamento florestal misto, «em que predominam áreas de pinhal jovem e mato», acrescentou.

Trata-se de uma zona «muito acidentada», o que tem dificultado o acesso dos meios de combate.

Às 14:30, o incêndio florestal estava a ser combatido por 111 operacionais, 64 dos quais bombeiros, apoiados por 28 veículos.

Participam também no ataque às chamas quatro aviões bombardeiros e outro meio aéreo não especificado, segundo a informação disponibilizada no portal da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Situada entre a vila de Penamacor e a cidade do Sabugal, próximo da fronteira com Espanha, a Reserva Natural da Serra da Malcata tem como símbolo o lince-ibérico, que é mundialmente o felino mais ameaçado de extinção.

Incêndio no Casal das Arroteias

Setenta e dois bombeiros e 16 outros operacionais combatem desde as 13:36 de hoje um incêndio em área de mato, no Casal das Arroteias, em Óbidos.

De acordo com informação disponível no portal da Proteção Civil, no combate ao fogo, que lavra numa só frente, os operacionais são apoiados por 28 veículos e um helicóptero bombardeiro pesado.