Uma unidade militar espanhola de emergência, com 158 operacionais, vai reforçar esta noite o combate aos incêndios no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, disse a presidente do município, sublinhando que a situação se "mantém preocupante".

"Esta noite chega ao concelho de Nisa uma coluna militar especializada vinda de Espanha, para combater os fogos. Se tudo correr bem, como está planeado, durante a noite, conseguimos debelar estes incêndios."

A autarca Idalina Trindade sublinhou que "o ponto da situação, nesta altura, sem alarmismos, é preocupante".

A presidente da Câmara adiantou que não há registo de casas ardidas, apesar de três aldeias terem sido evacuadas, nem de danos pessoais, e que ainda não foi contabilizada a área já ardida.

"Não há localidades em perigo", afirmou, apesar de terem sido evacuadas, por precaução, durante a tarde, as localidades de Salavessa, Monte Claro e Falagueira.

Segundo a presidente da câmara municipal, dois bombeiros sofreram queimaduras, foram assistidos nas urgências do hospital de Portalegre e já tiveram alta.

"Algumas falhas" no SIRESP

Quanto ao Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança em Portugal (SIRESP), Idalina Trindade reconheceu apenas que "tem havido algumas falhas em momentos não muito longos".

Em relação às localidades evacuadas, a autarca indicou que foram transportadas cerca de 100 pessoas para o pavilhão desportivo de uma escola da vila de Nisa, sede do concelho, mas 20 delas, por terem problemas de saúde, foram encaminhadas, ao início da noite, para a Santa Casa da Misericórdia.

Em Nisa lavram dois fogos, um dos quais, em Albarrol, é o que mais preocupação levanta à Proteção Civil, “devido ao comportamento e à intensidade que este incêndio tem demonstrado, sobretudo durante a tarde”, destacou às 19:00 Patrícia Gaspar, adjunta de operações da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

Devido a este fogo, três estradas nacionais estavam cortadas às 22:30: a Estrada Nacional 18, o acesso do IP2 à A23 na zona da ponte do Fratel e a EN 359.

Outros fogos

Cinco incêndios nos distritos de Portalegre, Viseu e Guarda eram os que às 00:00 mais preocupações davam aos bombeiros.

A esta hora temos cinco incêndios em curso com maior expressão, são aqueles que estamos a acompanhar com maior atenção e onde se situa o maior número de meios, além dos meios que se mantém no incêndio da Sertã, apesar de já estar dominado desde as 11:00”, disse à Lusa, Patrícia Gaspar, adjunta de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil, poucos minutos antes da meia-noite.

No concelho de Mangualde, distrito de Viseu, está cortada a EN 232, desde as 16:00, devido ao incêndio que lavra desde as 11:47 de quarta-feira, que teve início em Abrunhosa do Mato, e que às 22:30 era combatido por 204 operacionais, segundo a página da ANPC na Internet.

Segundo a ANPC, desde as 00:00 de hoje foram registadas 96 ocorrências de incêndios florestais.

Além dos dois incêndios de Nisa, um em Albarrol e outro com início nas Portas do Rodão, e do de Mangualde, às 22:30 estavam destacados como importantes na página da ANPC dois incêndios, no Gavião (Portalegre) e Almeida (Guarda).

Os incêndios de Sertã (Castelo Branco) e de Penacova (Coimbra) também são considerados ainda duas ocorrências importantes, mas estão em fase de resolução.

Segundo o sítio da ANPC na Internet, às 22:30 verificava-se um total de 60 ocorrências (que inclui incêndios em curso, em resolução e em conclusão), envolvendo no combate 3.290 operacionais, ajudados por 1.031 veículos e dois meios aéreos.