A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quarta-feira a detenção de um agricultor de 39 anos suspeito de ter ateado um incêndio florestal em Salzedas, concelho de Tarouca.

O agricultor de Salzedas, localidade do distrito de Viseu, está “fortemente indiciado” pela prática do crime de incêndio florestal.

O fogo, que ocorreu cerca das 13:00 de segunda-feira, colocou “em perigo uma mancha florestal e habitações que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros”.

O detido vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação.

A detenção foi efetuada pela Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real, com a colaboração do Núcleo de Proteção do Ambiente da GNR de Lamego.

Esta é já a terceira detenção associada a casos de fogo posto que é anunciada esta semana pela PJ de Vila Real.

Na segunda-feira, esta força policial disse que deteve uma mulher de 51 anos suspeita de ter ateado um incêndio florestal a 23 de junho, em Moimenta da Beira, distrito de Viseu.

A detida, sem ocupação laboral, ficou em prisão preventiva (medida de coação mais gravosa).

Já na terça-feira, a PJ anunciou a detenção de um agricultor de 75 anos suspeito de ter ateado um incêndio florestal a 15 de março, em Alfarela de Jales, concelho de Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real.

A PJ informou que, no corrente ano e em todo o país, identificou e deteve 24 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.