A Câmara de Ílhavo (PSD) anunciou esta terça-feira que a ponte da Vista Alegre, sobre o rio Boco, está encerrada ao trânsito automóvel por tempo indeterminado, "por motivos de segurança e precaução".

Em declarações à Agência Lusa, o presidente da Câmara, Fernando Caçoilo, disse que foram detetados "sinais de desgaste em alguns pilares, provocados pelas marés".

Nesse sentido, a autarquia decidiu avançar com trabalhos de peritagem e averiguação do estado do assentamento dos pilares.

Segundo uma nota da autarquia, a ponte, construída em madeira, permanecerá encerrada ao trânsito automóvel, por tempo ainda indeterminado, sendo no entanto permitida a circulação a motociclos, velocípedes e peões.

Em 2014, a ponte da Vista Alegre esteve encerrada ao trânsito automóvel e à circulação de peões durante cerca de dois meses para obras de reabilitação destinadas a garantir a segurança na circulação de viaturas e peões.

Os trabalhos incidiram sobre o vigamento do tabuleiro, tendo sido feita a substituição integral do estrado da ponte e feita a sua pavimentação.

A ponte da Vista Alegre, que liga a zona das Gafanhas à Fábrica de Porcelanas da Vista Alegre, começou a ser construir em 1978 e foi inaugurada no ano seguinte, na sequência de uma reivindicação da população, que logo após o 25 de abril recolheu assinaturas para exigir a travessia.

Chegou a existir no local uma outra ponte, construída em 1835, que veio a desaparecer, e durante um longo período a travessia entre as duas margens era feita com uma barcaça, à vara, numa viagem curta, mas perigosa, em condições de tempo adversas, devido a fortes correntes.

A atual ponte, utilizada sobretudo por trabalhadores da fábrica de porcelanas e residentes nas Gafanhas, por ser ainda de estacaria em madeira, exige periodicamente trabalhos de manutenção.